Categorias G1

Comissão de órgãos federais vai acompanhar descomissionamento de barragens da INB, em Caldas, MG


Comissão foi criada durante audiência pública nesta terça-feira (11) no Congresso Nacional, em Brasília (DF). Uma comissão de órgãos federais vai acompanhar o plano de descomissionamento das barragens da INB (Indústrias Nucleares do Brasil), em Caldas (MG). A comissão foi criada durante audiência pública nesta terça-feira (11) no Congresso Nacional, em Brasília (DF).
📲 Participe do canal do g1 Sul de Minas no WhatsApp
A comissão interministerial será permanente. A força-tarefa tem objetivo de agilizar os trabalhos feitos pela INB no processo de descomissionamento das barragens de rejeitos, D4 e em toda a instalação da indústria.
Participaram da audiência representantes do Ministério de Minas e Energia, Ministério do Meio Ambiente e de órgãos reguladores e fiscalizadores, como a Agência Nacional de Mineração, o Ibama e a Comissão Nacional de Energia Nuclear.
Leia também:
INB simula emergência em área de barragem de rejeitos radioativos em Caldas; ação é preventiva
Comissão das Águas avalia situação de barragem da INB como preocupante em Caldas
Reprodução EPTV
Os órgãos, que fazem parte da comissão, devem planilhar cada etapa do projeto de descomissionamento, trocar informações e acompanhar juntos o que está sendo feito para garantir que prazos sejam definidos e cumpridos.
Durante a reunião, a representante da ANM mostrou o cronograma de ações apresentado pela INB. No mês passado, foram feitas investigações geológicas e nos próximos meses serão feitos estudos de estabilidade e propostas de adequações do barramento.
Na audiência, a INB disse que o projeto total de descomissionamento gira em torno de US$ 500 milhões e ainda exige muito estudo.
Primeira mina de urânio do Brasil
A INB em Caldas é a primeira mina de urânio do Brasil e foi desativada em 1995. As instalações industriais dessa mina estão em processo de descomissionamento e incluem barragens de rejeitos de mineração de urânio.
No ano passado, as estruturas da barragem D4 e a da barragem de rejeitos foram classificadas no nível 1 de emergência.
A barragem de rejeitos, por exemplo, tem 12,5 mil toneladas de resíduos e ocupa um espaço equivalente a 50 campos de futebol, contendo lixos radioativos como urânio, torta II, mesotório e rádio.
Veja mais notícias da região no g1 Sul de Minas

Relacionadas

Notícias recentes

Nova Carteira de Identidade tem 8 milhões de adeptos; descubra as vantagens

De acordo com o Ministério da Gestão e Inovação dos Serviços Públicos (MGI) já foram…

2 horas atrás

O que pode bloquear o saldo do FGTS? CAIXA dá os motivos

Nos últimos dias trabalhadores relataram que o seu saldo do FGTS (Fundo de Garantia do…

3 horas atrás

Hemorroida atacou! 5 remédios caseiros para aliviar os sintomas

Dor, desconforto e prurido anal são apenas algumas das complicações provocadas pelas hemorroidas. Por ser…

3 horas atrás

FGTS anuncia distribuição extraordinária dos lucros para os trabalhadores; entenda bônus

Proposta do governo federal pode resultar em distribuição extraordinária dos lucros do FGTS para os trabalhadores.…

3 horas atrás

Mulher com 72 anos de idade estuda mecânica de aviões

Em Taubaté, no interior de São Paulo, uma mulher de 72 anos vive parte de…

3 horas atrás

Fake news sobre ações no RS revelam o pior das pessoas, diz Pimenta

O ministro da Secretaria Extraordinária de Apoio à Reconstrução do Rio Grande do Sul, Paulo…

4 horas atrás